BRASÍLIA - O diretor-geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, descartou, nesta terça-feira, a possibilidade de recondução do delegado Protógenes Queiroz para o comando da Satiagraha, que em julho prendeu o sócio do Opportunity, Daniel Dantas.

  • Tarso diz que nenhuma operação justifica desvios de conduta
  • Entenda a operação Satiagraha da Polícia Federal
  • Ministros solicitam liberação para Abin acompanhar investigações
  • Justiça proíbe Abin de acompanhar perícia da Polícia Federal
  • Juiz De Sanctis nega interceptações telefônicas do STF


    Acordo Ortográfico "A investigação já foi redirecionada, já tem um novo delegado e uma nova equipe interagindo com o Ministério Público e com a Justiça produzindo diligências", disse.  

    Questionado sobre o futuro de Queiroz na corporação, Corrêa disse apenas que "ele é um profissional de polícia, é um policial enquanto ele estiver na PF. O Dr. Protógenes é um servidor a mais na PF. Nós não personalizamos, não personalizamos operações". 

    Abin

    Em evento da PF sobre o controle de produtos químicos, principalmente utilizados para a fabricação de drogas e explosivos, Corrêa comentou que a direção da Polícia Federal vai se reunir, ainda nesta terça-feira, com a cúpula da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

    A intenção é desfazer a crise entre as duas instituições desde a repercussão da Operação Satiagraha. O uso de agentes de inteligência está sendo questionado na operação. Além disso, os arapongas são os principais suspeitos da realização de escutas telefônicas sem autorização judicial e junto de Protógenes são acusados de vazamento de informações no âmbito da Satiagraha.

    Veja também:

  • Ricardo Kotscho: Justiça, PF e Abin, uma guerra civil?
  • Jornal de Debates: Operação Satiagraha: a decisão do STF foi correta?
  • Fala de Protógenes amplia suspeita de grampo no STF
  • Polícia Federal refaz todo o inquérito da Satiagraha, diz Tarso
  • Protógenes violou senhas para Abin fazer grampo, diz PF
  • Defesa de Protógenes pede cópia de inquérito
  • Hotel no centro de SP foi usado para Operação Satiagraha
  • Punição exagerada pode desestimular grandes operações

    Leia mais sobre: Operação Satiagraha

    • Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.