Protógenes está a serviço de uma ala do governo, diz Heráclito

BRASÍLIA - O primeiro-secretário do Senado, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), disse nesta segunda-feira acreditar que o delegado da Polícia Federal (PF), Protógenes Queiroz, está a serviço de uma ala do governo, numa ação intimidatória. Queiroz é acusado de investigar ilegalmente os ministros Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), Dilmar Rousseff (Casa Civil), senadores e governadores de oposição, além do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Heráclito um dos parlamentares supostamente bisbilhotados por Protógenes.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Na avaliação de Heráclito, o delegado foi seletivo e escolheu pessoas que infernizam a vida do governo para investigar. Não tenho dúvidas de que o senhor Protógenes está a serviço de uma ala do governo, diz.

Se você examinar o processo, o Protógenes é seletivo. Ele [o delegado] escolhe as pessoas. Ele escolhe o [José] Dirceu [ex-ministro da Casa Civil] e a Dilma [Rosseff, ministra da Casa Civil]. Ele escolhe pessoas conflitantes dentro do governo. No Congresso, ele procura pessoas que infernizam a vida do governo. É uma ação intimidatória. É uma ação irresponsável, avaliou o senador, ao comentar matéria publicada na revista "Veja" que trás informações sigilosas contidas no inquérito da PF que analisa suspeitas de irregularidades cometidas na Satiagraha.

Ainda segundo o senador, as supostas investigações ilegais sobre autoridades praticadas por Protógenes dizem respeito a disputas pela sucessão presidencial.  Esse caso envolve sucessão presidencial, envolve interesses de outros dentro do governo e concorrências que estão sendo anunciadas. Essa é uma briga de gangues. E, querem colocar outras pessoas na história, completou.

Veja vídeo sobre a reportagem da "Veja":


Leia também:

Leia mais sobre: Operação Satiagraha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG