Protógenes dispensa investigação da Polícia Civil

A Secretaria de Segurança do Rio informou hoje que o delegado federal Protógenes Queiroz dispensou investigação da Polícia Civil sobre o possível atentado que alega ter sofrido na tarde de quinta-feira no Jardim Botânico, na zona sul da capital. De acordo com a secretaria, policiais que passavam pelo local onde o carro do delegado estava parado, com o capô levantado, pararam para oferecer ajuda.

Agência Estado |

Ele então se apresentou e disse que havia sido vítima de um atentado, mas recusou a oferta. Segundo a secretaria, Protógenes afirmou que possivelmente um tiro havia atingido o radiador do carro - ele não quis registrar queixa na delegacia local nem levar o carro para perícia na Polícia Civil. O delegado informou na ocasião que já havia pedido apoio à Polícia Federal, e que preferia fazer o registro de ocorrência na PF.

A viatura ficou no local até a chegada de uma equipe da PF, informou a secretaria. Protógenes disse aos policiais que se houvesse necessidade pediria ajuda ao Estado na investigação. Ninguém foi localizado na Superintendência Regional da PF no Rio para comentar o caso. A Assessoria de Imprensa da PF em Brasília informou desconhecer a informação de "possível atentado" contra o delegado e que não havia recebido nenhum registro até o fim desta tarde.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG