Protógenes deve ser aposta eleitoral do Psol em 2010

BRASÍLIA - Para muitos, o delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz, ex-comandante da Operação Satiagraha, que prendeu o banqueiro Daniel Dantas, está usando o Psol para se salvar das acusações de ter bisbilhotado ilegalmente jornalistas, ministros e autoridades dos três Poderes. Mas o partido, que ganhou fôlego com o ingresso de dissidentes do PT após o escândalo do mensalão, enxerga no delegado a sua tábua de salvação.

Agência Estado |

Em conversas com amigos, o próprio delegado tem superestimado seu potencial eleitoral.

Protógenes diz que foi convencido pelos líderes do Psol de que, embalado na bandeira do combate à corrupção, alcançará a marca de 1,5 milhão de votos em uma eventual disputa por uma vaga deputado federal por São Paulo no ano que vem.

O Psol, por sua vez, aposta que o ex-chefe da Satiagraha, com a sua fama de justiceiro, alcance um desempenho duas vezes superior ao conquistado pelo ex-prefeito Paulo Maluf (PP-SP) na urnas em 2006. Na época, o ex-prefeito paulistano foi o deputado mais votado, em números absolutos, atingindo a marca de 739 mil votos.

Os problemas crescem em torno de Protógenes - neste domingo o jornal "O Estado de S. Paulo" revelou que ele viajou com passagens aéreas do gabinete da deputada Luciana Genro (PSOL-RS), pagas pela Câmara.

Outros parlamentares da legenda podem ter feito o mesmo, mas só Luciana admitiu, ressaltando não ver nenhuma irregularidade. Protógenes não atendeu à reportagem para explicar por que usou os bilhetes da parlamentar, justamente em meio ao escândalo da farra das passagens no Congresso. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia também:

Leia mais sobre: Protógenes Queiroz

    Leia tudo sobre: protógenes queiroz

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG