Protógenes defende governo Lula e critica PSDB paulista

Depois de negar várias vezes que começaria uma carreira na política, o delegado afastado da Polícia Federal Protógenes Queiroz disse hoje (2) se sentir honrado em ingressar na vida pública. A via, a saída para as necessidades e dificuldades que o Brasil atravessa é a via política.

Agência Estado |

Tudo isso que acontece hoje no cenário político nacional é reversível a partir de uma postura e da participação de cada um de nós nas nossas administrações públicas", disse ele, em entrevista coletiva em que anunciou sua filiação ao PCdoB e aproveitou para elogiar o governo Lula e criticar as administrações tucanas em São Paulo.

No discurso, o delegado fez uma defesa do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Posso afirmar que ao decidir (pelo PCdoB), o fiz com muita certeza sobre o que o trabalho da Polícia Federal representou nesse processo", afirmou ele, citando que foi durante o governo Lula que a PF mais fez investigações sobre casos envolvendo corrupção, desvio de recursos públicos e crime do colarinho branco. Protógenes disse que o governo Lula envia verba pública para todos os lugares do País. "Se há desvio, a culpa não é dele."

O delegado também partiu para o ataque contra o PSDB paulista e a administração do governador José Serra. "Está provado que os governos do PSDB em São Paulo não são bons administradores. Senão não haveria a falência do sistema de segurança pública e as carências do sistema de transporte", declarou.

Protógenes escolheu o Hotel São Paulo Inn para fazer o anúncio de uma nova etapa em sua carreira. O local é simbólico: funcionou como base para policiais e agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) que participaram da Operação Satiagraha, coordenada por ele antes de seu afastamento.

Na entrevista coletiva, Protógenes disse que ingressava na vida político-partidária atendendo a uma "exigência popular". "Estou apto a cumprir tarefa em qualquer campo, atendendo à necessidade popular", afirmou, sem revelar se pretende concorrer a um cargo como deputado federal ou senador.

Segundo Protógenes, a escolha pelo PCdoB ocorreu pela afinidade de projetos, como enfatizou o presidente nacional da sigla, Renato Rabelo. "Houve uma identidade de projetos entre o PCdoB e o Protógenes. Ele conheceu nosso projeto e se identificou com ele." Rabelo afirmou que o partido fará pesquisas para definir o destino de Protógenes nas eleições de 2010.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG