Protesto chega ao Masp com 3 mil manifestantes

Cerca de 3 mil manifestantes de movimentos sindicais e sociais chegaram em torno do meio-dia de hoje ao vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), após caminhada de uma hora a partir da Praça Oswaldo Cruz, no início da Avenida Paulista, região central de São Paulo. No local, integrantes de seis centrais sindicais, da União Nacional dos Estudantes (UNE) e do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) farão um ato político para reivindicar a redução da jornada de trabalho para 40 horas por semana, pela garantia do emprego em empresas que tenham recebido financiamento público e pela defesa dos direitos sociais.

Agência Estado |

Durante passeata, os manifestantes fizeram paradas em frente à sede da Petrobras, onde defenderam a exploração nacional do petróleo da camada do pré-sal - situada abaixo do leito marinho -, e em frente ao prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), onde pediram flexibilidade aos patrões nas negociações salariais do segundo semestre. O protesto ocupa duas faixas da Avenida Paulista e ainda há manifestantes nas imediações da Avenida Brigadeiro Luís Antônio. Os integrantes dos movimentos se organizam debaixo do vão livre do Masp para assistir à fala de seus líderes, que estão em cima de um caminhão de som.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG