Por Alex Dobuzinskis LOS ANGELES (Reuters) - Promotores norte-americanos afirmaram na segunda-feira que não apresentarão acusações formais contra a pop star Britney Spears, rejeitando assim a denúncia de um fotógrafo de que cantora teria passado com o carro por cima do pé dele ao dar marcha ré em meio a um grupo de paparazzi.

Um fotógrafo apresentou uma queixa cerca de seis meses depois do incidente, ocorrido em novembro. Mas a promotoria afirmou que o pé do paparazzo só poderia estar onde estava, segundo indicariam as imagens de um vídeo, se o fotógrafo tivesse colocado seu pé ali intencionalmente.

Joseph Shidler, vice-promotor distrital, observou em um arrazoado que o carro de Britney estava cercado pelos fotógrafos e que uma voz no vídeo mandava que a pop star desse marcha ré.

'Não temos provas mostrando para além de uma dúvida razoável que a suspeita estava ciente de que o pé da vítima havia sido atingido pelo carro', escreveu Shidler. 'Houve muita comoção e barulho à época, mas não há provas de que a suspeita estivesse ciente do que aconteceu.'

Promotores afirmaram que o vídeo, que circulou na internet, não mostra o pé do fotógrafo sendo atingido. Mas Shidler acrescentou que 'a única forma de o pé da vítima estar onde o vídeo indica que estaria é a vítima ter colocado seu pé naquele local'.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.