Promotor investiga se outros 5 bebês morreram no Pará

O promotor de Justiça da Infância e Juventude Ernestino Silva anunciou hoje que investigará a informação de funcionários da Santa Casa de Misericórdia do Pará de que outros cinco bebês teriam morrido entre segunda e terça-feira, o que aumentaria para 17 o número de mortes de recém-nascidos no local, se somadas às 12 da semana passada. O enterro dos cinco bebês ocorreu hoje no Cemitério do Tapanã, na periferia de Belém.

Agência Estado |

A direção da Santa Casa não confirmou as cinco mortes, mas Silva cobrou explicações do hospital. Ele esteve hoje no necrotério do estabelecimento e lá viu 12 corpos de recém-nascidos que, segundo funcionários, teriam morrido entre abril e junho, de forma espaçada, o que afastaria a possibilidade de relação com as 12 mortes da semana passada. Pelo que Silva ouviu, dos 12 corpos encontrados hoje, sete eram provenientes de aborto espontâneo - sobrariam cinco, então. O sepultamento demorou porque os responsáveis não foram ao hospital para fazer a retirada. Para o promotor de Justiça da Infância e Juventude, nesse caso, a Santa Casa não pode ser responsabilizada.

Quanto aos cinco bebês, empregados do hospital informaram que eles teriam morrido nos últimos três meses. A informação será apurada até mesmo com o pedido de laudos da causa das mortes. A Santa Casa confirmou que quatro recém-nascidos que estavam no necrotério foram enterrados hoje. Para tirar dúvidas, Silva protocolou um ofício à direção do hospital para que informe se houve mortes de recém-nascidos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal entre segunda-feira e hoje.

A denúncia sobre o suposto desaparecimento de um dos corpos dos bebês que morreram no fim de semana também foi checada pelo promotor de Justiça da Infância. Silva constatou que não havia procedência na informação. "O corpo do bebê foi retirado pela avó paterna", acrescentou. A Santa Casa apresentou hoje à Procuradoria-Geral da República (PGR) documentos com explicações detalhadas sobre a causa das mortes de 12 bebês no hospital. O relatório com os prontuários dos recém-nascidos será analisado pela procuradora Regional dos Direitos do Cidadão, Ana Karízia Teixeira. Na quarta-feira, peritos do Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus) estiveram no hospital vistoriando enfermarias, UTIs, setores administrativos e salas de exames.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG