Pró-Matre do RJ suspende partos pela 1ª vez em 91 anos

A Pró-Matre, tradicional maternidade do Rio, suspendeu pela primeira vez os partos, em 91 anos de atividade. Os funcionários da enfermagem iniciaram uma greve na noite de sábado, depois de cinco meses sem salários, e foram acompanhados por médicos e empregados do setor administrativo.

Agência Estado |

A instituição, onde nasceram o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o compositor Erasmo Carlos, alega que está em dificuldades porque deixou de receber repasse mensal da prefeitura do Rio de R$ 250 mil em outubro passado, quando expirou convênio, que ainda não foi renovado.

"Só com a verba do SUS (Sistema Único de Saúde) a instituição não tem como manter o atendimento e a prefeitura já tinha conhecimento disso, tanto que desde 2000 complementa a verba", disse o presidente do Conselho Regional de Medicina (Cremerj), Luís Fernando de Moraes. A Pró-Matre, no centro do Rio, atende gestantes de baixo risco e faz cerca de 400 partos por dia - 70% de partos normais. Até o início dos anos 2000, a maternidade chegava a receber mil grávidas diariamente. Já chegou a responder por 10% dos partos do município. Mas por conta das dificuldades financeiras, leitos foram fechados.

Consultas, exames e cirurgias eletivas foram mantidos. O superintendente da Pró-Matre, Ricardo de Oliveira e Silva, está confiante de que uma solução será encontrada. "O convênio com o município foi encerrado no fim da administração passada. E em fim de governo é mais difícil resolver as coisas. A atual administração tem demonstrado empenho em resolver a situação", afirmou.

O prefeito Eduardo Paes disse que não aceita pressão por parte da instituição. "Eles querem mais recursos. Se querem isso, a discussão pode ser aberta. Mas não podem achar que levando essa polêmica para a imprensa vão botar a faca no pescoço do prefeito". A assessoria da Secretaria Municipal de Saúde informou que a prefeitura está "empenhada em ajudar", mas não há dívida com a Pró-Matre, já que o convênio foi encerrado em outubro.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG