Projeto de biblioteca árabe-sul-americana é concretizado em Argel

Argel, 27 abr (EFE).- A Argélia decidiu mobilizar uma verba calculada em aproximadamente 250 milhões de dinares (US$ 3,9 milhões) para a construção de uma biblioteca árabe-sul-americana que, segundo o embaixador extraordinário da cúpula, o brasileiro Arnaldo Carrilho, será um exemplo de aproximação entre culturas.

EFE |

A realização do projeto foi anunciada hoje por uma fonte oficial explicando que a licitação, aberta há quatro meses, terminará no dia 30 de maio. Depois, um júri selecionará o melhor projeto para o edifício.

O projeto foi originado na Cúpula dos Estados Árabes e Sul-americanos, realizada em 2005 em Brasília e foi ratificado no ano passado durante uma reunião ministerial em Buenos Aires.

Vinte e quatro países da Liga Árabe e 12 da América Latina participam do projeto, que entrou na fase de concretização neste fim de semana em Argel, onde é realizada desde ontem uma reunião da comissão cultural encarregada do plano, com representantes do Brasil, da Argentina e da Venezuela além da Argélia e do Marrocos, da Liga Árabe.

Está previsto que nessa reunião, que termina amanhã, sejam estudados e adotados os estatutos da biblioteca, que deve ser construída sobre uma superfície de cinco hectares na localidade litorânea argelina de Zeralda, a cerca de 40 quilômetros a oeste de Argel.

Sua construção foi confiada à Agência de realização de grandes projetos culturais criada recentemente pelo Ministério argelino da Cultura e o começo das obras está previsto para 2009.

A Argélia assumirá sozinha o custo financeiro da construção. No entanto, os equipamentos e as despesas de funcionamento da biblioteca serão custeados por todos os participantes.

O plano de estatutos da biblioteca visa reforçar a cooperação e o intercâmbio cultural e científico entre os países árabes e latino-americanos.

Contempla igualmente o início de uma base de dados bibliográficos conjuntos que seriam compartilhados entre os países-membros, a promoção e edição de publicações especializadas, além do desenvolvimento e da intensificação da pesquisa científica.

A missão deste estabelecimento será a promoção das culturas árabe e latino-americanas com a organização de manifestações, atividades culturais e científicas além da contribuição à proteção do patrimônio cultural dos países envolvidos.

Será impulsionado, também, o intercâmbio entre as bibliotecas nacionais dos países-membros, a colaboração das universidades e dos centros de pesquisa, assim como a instalação de laboratórios de pesquisa científica e de arte.

Uma das cláusulas dos estatutos da biblioteca estipula que sua sede permanente será na Argélia, mas contempla a possibilidade de abrir filiais nos países-membros.

O embaixador extraordinário da cúpula de países árabes e latino-americanos, o brasileiro Arnaldo Carrilho, afirmou ontem que o projeto é um exemplo de aproximação entre culturas.

O embaixador da Venezuela na Argélia, Michel Mujica, disse à Agência Efe que a biblioteca ajudará a difundir a cultura árabe na América Latina e vice-versa, enquanto a embaixadora da Argentina, Bibiana Jones, observou que este projeto mostra que os povos podem contemplar projetos sem limites geográficos. EFE sk/bm/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG