Projeto cria pagamento de Zona Azul em SP por celular

A partir de segunda-feira, motoristas que estacionarem nos bairros Cidade Jardim e Jardins poderão comprar créditos de Zona Azul pelo celular. Duas tecnologias serão testadas pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) durante seis meses em 3.072 vagas da região - elas representam 10% do total de vagas do sistema de Zona Azul. A Prefeitura pretende expandir a compra eletrônica para toda a cidade até o fim do ano que vem.

Agência Estado |

A idéia é que os usuários tenham alternativas ao talão de papel, que não deixará de existir. Cada uma das duas tecnologias será testada em bairros diferentes. Nas 23 ruas da Cidade Jardim, onde estão concentradas 1.056 vagas, o sistema é mais simples. O motorista liga para um telefone fixo, faz um cadastramento, fornecendo CPF e dados do cartão de crédito, e compra por R$ 18 o equivalente a 20 créditos de Zona Azul. Para gastá-los, basta ligar para o mesmo telefone e informar o código da vaga, marcado no meio-fio. A contagem de créditos é feita a cada 30 minutos até as duas horas limites ou até o motorista ligar informando que deixará o local.

Para estacionar numa das 2.016 vagas oferecidas nos Jardins, o motorista terá de instalar um aplicativo no celular. Isso poderá ser feito enviando uma mensagem SMS para a empresa responsável pelo sistema ou baixando o programa na internet. A partir daí, a compra de créditos é semelhante à utilizada no sistema pré-pago de telefonia móvel. O motorista tem de adquirir um cartão de recarga e digitar no celular o código de série. O cartão com 20 créditos, para 10 horas de uso, também custa R$ 18. O número da placa do veículo e da vaga são digitados no próprio aplicativo e enviados automaticamente para o sistema.

A Zona Azul eletrônica é testada na cidade desde 2006. Na época, a Prefeitura convocou empresas interessadas em desenvolver tecnologias. Cerca de 40 fizeram o credenciamento, mas só três criaram sistemas aplicáveis à capital. O primeiro e mais simples - compra de créditos num posto credenciado, com apenas o cadastramento da placa realizado de forma eletrônica - entrou em operação há dois anos nas 572 vagas da Praça Charles Miller, no Pacaembu. Depois, foi ampliado para o Largo do Arouche e o Aeroporto de Congonhas. São projetos que podem evoluir para a compra pela web e outras formas de pagamento, disse Celso Buendía, gerente de Estacionamento da CET. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia mais sobre: zona azul

    Leia tudo sobre: zona azul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG