Programação neurolinguística ajuda a superar o medo

Programação neurolinguística ajuda a superar o medo Por Maria Rehder São Paulo, 15 (AE) - As linhas que trabalham a mudança comportamental, como a programação neurolinguística e até o tratamento nos moldes da clínica Medo de Avião, são apontadas como caminhos para superar a aerofobia, de acordo com Renata Machado, professora de psicologia do desenvolvimento da Universidade Presbiteriana Mackenzie, também em São Paulo. Na prática, estes tratamentos reprogramam a atitude das pessoas em relação ao medo.

Agência Estado |

"Temos medo do que não conhecemos. O ar não é nosso ambiente, nele ficamos sem controle, à mercê da sorte. E o avião continua sendo parte do nosso imaginário."

Renata ressalta que é importante que as pessoas com medo de voar se familiarizem com o funcionamento do avião. "Até conversar com o piloto é importante, para ver que ele é humano, tem família e não quer que nada dê errado."

O presidente da Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística, Gilberto Craidy Cury, já atendeu muitas pessoas com aerofobia. "A neurolinguística pode parecer mágica para os que perdem o medo, mas a razão é simples. Tudo o que o cérebro aprendeu, ele pode aprender de outra forma. O que ele pode construir também pode desmontar."

Contatos: www.pnl.com.br e www.mackenzie.br (clínica psicológica/atendimento grátis).

Boxe 1:
MANUAL DE SEGURANÇA

Se você sentir muita ansiedade, peça para algum amigo ou parente viajar com você

Informe-se sobre aspectos técnicos do avião. Há muitas pessoas que se sentem seguras ao saber o modelo da aeronave, como funciona. Se possível, até conversar com o piloto antes da viagem pode dar mais segurança

Conheça todos os passos do seu embarque. Procure deixar as malas prontas no dia anterior para não ficar apavorado. Há muitas pessoas que encontram uma forma de perder o voo

Chegue ao aeroporto mais cedo para começar a se ambientar com cheiros, barulho, pessoas

Vista roupas leves em viagens longas e evite usar metal para não apitar no raio X, o que pode aumentar a ansiedade

Busque distração no aeroporto. Compre livros, visite as lojas.

É importante distrair o pensamento porque muitos aerofóbicos têm a sensação de que estão nos
‘finalmentes’, prestes a morrer, quando vão ao aeroporto

Ao chegar ao avião, converse com as comissárias sobre o seu medo. Isso ajuda a relaxar. Quando a aeronave estiver estabilizada, levante-se, movimente os pés. Desfrute do serviço de bordo

Leia, ouça música. E lembre-se: barulho no voo é sinal de que o avião está funcionando.

Aerofóbicos tendem a achar que qualquer barulho é sinal de que o avião está caindo.

Boxe 2:
CLAUDIA OHANA, atriz
"Na vez em que fui para o Japão e parei em Paris, tive uma alergia horrível de tanto medo e fiquei por lá um mês, até meu ex-marido me buscar para seguir viagem. Superei a fobia quando fui para Las Vegas. Estava fazendo tratamento com um neurolinguista. Como me sentia segura no quarto, levei o meu quarto para o voo. Vesti meu pijama, levei despertador de Piu-Piu, sopinha. Funcionou. Hoje, viajo, mas com rituaizinhos."

DOMINGUINHOS, músico
"Tô vindo de Trancoso (BA), saí de lá anteontem (a entrevista foi dada na semana passada) de carro porque morro de medo de avião há mais de 30 anos. Tinha viajado bastante de avião até começar a pensar coisas estranhas. Isso foi se avolumando, paúra da peste, e não viajei mais de avião. Uma vez, o Luiz Gonzaga foi e eu fiquei. Fiz tratamento numa fazenda para perder o medo, mas não adiantou."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG