O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, lançou hoje no Rio o programa federal que vai investir R$ 193 milhões, do orçamento deste ano, na construção de 126 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) em todo o país. O objetivo é agilizar o atendimento nas emergências e desafogar as filas dos hospitais.

O ministro informou que até 2010 haverá um total de 500 UPAs no Brasil.

O programa que seria lançado na terça-feira em Brasília teria sido adiado por um protesto do governador Sérgio Cabral. O ministro não teria contado a ele sobre o lançamento do programa federal, que é baseado na experiência das unidades do Estado do Rio, onde já há 20 UPAs. O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, onde serão implantadas sete UPAs, e o deputado federal Michel Temer (presidente do PMDB) participaram do lançamento no Palácio Guanabara (sede do poder executivo no Rio).

Hoje, Temporão minimizou o episódio. "Foi um problema de agenda, eu queria fazer (o lançamento) em Brasília porque queríamos contar com outros governadores, mas nesse dia o governador Sérgio Cabral não podia e reagendamos para o Rio. Não houve constrangimento nenhum", disse.

As UPAs atendem 24 horas por dia e foi concebida para ser um modelo intermediário entre o posto de saúde e o hospital. A primeira unidade inaugurada foi na favela da Maré, no Rio, em maio do ano passado. De acordo com o ministério, o governo federal vai financiar os procedimentos de baixa e média complexidades e a construção de três tipos de unidades. Como contrapartida, os Estados devem remunerar os profissionais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.