Programa Comunidade de Saúde é lançado no Rio de Janeiro

RIO DE JANEIRO - O jornalista e colaborador do iG Luís Nassif apresentou, nesta terça-feira, durante seminário sobre o Complexo Econômico-Industrial da Saúde, no edifício do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Rio de Janeiro, o programa Comunidade de Saúde. A iniciativa, ligada ao Projeto Brasil, portal de discussões sobre políticas públicas, permitirá que internautas, representantes do governo, da indústria e acadêmicos formem parcerias voltadas para melhorias no quadro da saúde pública brasileira.

Redação |

Luciana Fracchetta
Nassif apresenta o projeto da comunidade
A idéia é formarmos uma massa crítica de informação, proveniente de várias pessoas, de vários setores, e poder criar parcerias com órgãos governamentais para a prestação de contas públicas, aperfeiçoando assim o modo de pensarmos a saúde nacional. Será uma via de mão dupla, que beneficiará o poder público, pois este terá um feedback constante de suas ações, e a população, pois o acesso ao debate será menos burocrático , explicou o jornalista.

No site , que já está no ar, os interessados poderão pensar e apresentar propostas em fóruns de discussão, num link direto com instituições como a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e o Ministério da Saúde, parceiros do programa. De acordo com Nassif, o cadastramento dos participantes, que podem ser pessoas individuais ou reunidas em grupos, tem previsão para ser iniciado a partir desta quarta-feira.

Além de fóruns ¿ como os do site de relacionamento Orkut ¿ o internauta terá a sua disposição blogs, biblioteca de artigos, documentos, notícias de veículos especializados, chats, e uma área onde o governo disponibilizará seus trabalhos e projetos. Vamos organizar, por meio de um instrumento de gestão participativa, um conhecimento difuso. Há muitas comunidades que discutem a saúde, mas não se comunicam, vamos conectá-las, salientou Nassif.

A informação que circula em fóruns online é muito especializada e até 40 vezes maior que a que está na mídia. O desafio é compartimentar esse imenso volume de informação, disse, salientando que os investimentos em saúde representam 8% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional e 10% dos empregos, nos setores da indústria e serviços, do País.

O Projeto Brasil já conta com a criação de comunidades em outras áreas, como a de gestão, políticas sociais, bioernegia e inovação. Posteriormente, o jornalista pretende levar a idéia para as universidades e centros de estudo brasileiros.

Palestrante do seminário, o chefe de Departamento de Produtos Intermediários Químicos e Farmacêuticos do BNDES, Pedro Palmeira, elogiou a iniciativa de criação do Comunidade da Saúde. Acho fantástica, pois, a partir de modernas tecnologias de comunicação, pessoas que pensam o assunto da saúde nacional podem contribuir e conjugar interesses comuns. O importante é agregar e filtrar esse volume de informações para um debate produtivo, disse.

Incentivos para a inovação

Durante o evento, onde foram discutidas estratégias para desenvolver o setor farmacêutico nacional, Palmeira defendeu pesados investimentos na indústria ¿ da ordem de 3 bilhões até 2012 somente pela remodelação do programa Profarma - doméstica e criticou a taxa de câmbio valorizada, que favorece as importações. Também foram discutidas medidas de desenvolvimento da capacidade instalada da produção de medicamentos como genéricos, bem como sua concorrência nos mercados internacionais.

O vice-presidente da Abifina (Associação Brasileira das Indústrias de Química Fina, Biotecnologia e sua Especialidades), Dante Alário Júnior, cobrou uma maior harmonização das políticas da Anvisa e do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (Inpi).

Para saber mais:

Projeto Brasil: www.projetobr.ig.com.br

Blog do Nassif: http://projetobr.com.br/web/blog/5

Leia mais sobre: Saúde - Luís Nassif

    Leia tudo sobre: saúde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG