Professores da USP decidem manter paralisação

Os professores da Universidade de São Paulo (USP) decidiram hoje, em assembleia, manter a greve iniciada no último dia 4. Segundo comunicado distribuído pela Associação dos Docentes da USP (Adusp), está mantida a pauta de reivindicações do movimento e uma nova assembleia deve ser realizada na sexta-feira, no Auditório da Escola de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH).

Agência Estado |

Como atividade de greve de amanhã, será realizada uma passeata seguido de um ato público, a partir das 12 horas, no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp). Depois da concentração, os manifestantes pretendem sair em passeata pela Avenida Paulista, seguindo até o Largo São Francisco, no centro da capital paulista.

O movimento reivindica, entre outros itens, a imediata retirada da Polícia Militar (PM) da USP, a renúncia da reitora Suely Vilela, a reabertura de negociações entre o Conselho de Reitores das Universidade Estaduais Paulistas (Cruesp) e o Fórum das Seis, entidade que representa alunos, funcionários e professores da USP, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp), e instituição de eleições diretas para a reitoria.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG