Um aparelho celular desencadeou uma briga entre uma aluna e uma professora de Direito na Fundação Armando Álvares Penteado (Faap), localizada no Pacaembu, zona oeste de São Paulo. A estudante acusa uma professora do sexto período de arrancar o celular de sua mão e de a empurrar no chão durante uma discussão.

A Faap é uma das mais tradicionais e caras faculdades de São Paulo. A mensalidade do curso de Direito custa R$ 2.490.

À direção da faculdade, a aluna, de 21 anos, disse que a docente desconfiou que ela estava utilizando a memória do celular para copiar as questões de uma prova. Em nota oficial, a Faap informou que abriu sindicância administrativa para apurar a denúncia e que os responsáveis serão punidos. Os nomes da aluna e da professora não foram divulgados.

De acordo com testemunhas, a discussão começou quando a professora percebeu que a estudante não parava de mexer em seu aparelho celular durante prova aplicada na manhã de segunda-feira. Desconfiada, pediu para a universitária se levantar. Em seguida, ela teria pego o aparelho e mexeu nos arquivos.

Indignada, a aluna tentou tirar o celular das mãos da professora. Ainda segundo testemunhas, houve um empurra-empurra entre as duas e o aparelho caiu no chão. A discussão durou ainda mais 15 minutos. Foi necessário que os outros alunos interviessem para conter os ânimos das duas. Um diretor da faculdade chegou a ir à sala de aula para separá-las. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.