A professora e pesquisadora da Universidade do Estado do Rio (UERJ), Eliete Bouskela, se tornou a primeira mulher do País a ocupar uma cadeira na Academia Francesa de Medicina, uma das mais tradicionais de saúde do mundo, fundada em 1820. Segundo a agência de notícias da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Eliete foi eleita com 82 dos 86 votos da instituição francesa em reconhecimento por seu trabalho na área de fisiologia cardiovascular no Laboratório de Pesquisas em Microcirculação na universidade.

A pesquisadora brasileira tomará posse dia 16 de dezembro, em Paris. A eleição de Eliete para a academia começou em 2007, quando ela apresentou, em Paris, uma conferência sobre os resultados de seus estudos. A pesquisadora foi eleita na categoria Membro Correspondente Estrangeiro na área de ciências biológicas e farmacêuticas que tem, entre seus titulares, o ganhador do Nobel da Medicina deste ano, o virologista francês Luc Montagnier, responsável pela descoberta do vírus da aids há 21 anos.

Eliete, que é membro titular da Academia Nacional de Medicina e coordenadora da área biomédica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), se une ao seleto grupo de cientistas brasileiros que constam dos registros da Academia: Oswaldo Cruz, Carlos Chagas, Carlos Chagas Filho, Jorge Alberto Costa e Silva e Augusto Paulino.

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.