Professora confessa seqüestro de bebê no DF

Problemas de distúrbio. Essa foi a justificativa dada à polícia pela professora Cláudia Regina de Souza Lacerda, de 33 anos, que raptou um bebê recém-nascido na maternidade estadual do Hospital Regional do Gama, a 40 quilômetros de Brasília.

Agência Estado |

Após a denúncia feita pela mãe sobre o desaparecimento da criança, agentes da Divisão de Repressão a Seqüestros (DRS) foram acionados e levantaram o endereço de várias suspeitas, um deles o da acusada, mas, somente seis horas depois do rapto, o bebê apareceu.

Após o seqüestro, a professora acabou retornando ao hospital e informou a duas funcionárias que, num matagal próximo, havia um bebê abandonado.

Em seguida, a professora deixou o hospital, mas após andar uns 50 metros, foi abordada por policiais militares e acabou confessando o crime.

Leia mais sobre: seqüestro

    Leia tudo sobre: seqüestro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG