Produção industrial no país tem pior queda desde 1991

Por Rodrigo Viga Gaier RIO DE JANEIRO (Reuters) - A produção industrial sofreu em dezembro a queda mais acentuada desde 1991, marcando o pior desempenho do setor desde o agravamento da crise financeira mundial em meados de setembro.

Reuters |

As indústrias instaladas no país amargaram uma queda de 12,4 por cento na produção de dezembro ante novembro, a mais acentuada da série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), iniciada em 1991.

No último trimestre de 2008, o desempenho industrial ficou 9,4 por cento abaixo do registrado nos três meses anteriores, acrescentou o IBGE.

Na comparação com dezembro de 2007, o quadro também mostra uma forte deterioração do setor. "A queda na produção foi de 14,5 por cento, menor marca de toda a série histórica", informou o IBGE.

Os dados vieram bem piores do que as projeções feitas por analistas consultados pela Reuters. De acordo com o levantamento, os analistas esperavam uma queda mensal de 6,6 por cento e um recuo de 9,0 por cento na comparação com dezembro do ano anterior.

"A redução de 12,4 por cento observada na passagem de novembro para dezembro de 2008 foi a mais acentuada da série histórica e levou o patamar de produção ao nível observado em março de 2004", afirmou o IBGE em nota.

A indústria de veículos, que amargou um tombo de 39,7 por cento, foi o principal impacto no índice global do setor.

Avaliando por categoria, a produção de bens duráveis despencou 34,3 por cento em dezembro, enquanto os bens de capital recuaram 22,2 por cento, recorde em ambos os casos.

Na comparação com dezembro de 2007, a produção da indústria automotiva ficou 59,1 por cento menor. As indústrias de material eletrônico e equipamentos de comunicação sofreu uma retração de 60,3 por cento.

Em 2008 como um todo a produção industrial acumulou alta de 3,1 por cento, ante avanço de 6,0 por cento em 2007. Analistas esperavam um crescimento de 3,6 por cento, de acordo com a pesquisa feita pela Reuters.

"Em síntese, a mudança do quadro macroeconômico a partir de setembro teve efeito imediato sobre a atividade industrial", afirmou o IBGE.

Para os técnicos do instituto, a análise sobre o comportamento da indústria em 2008, a partir dos índices de média móvel trimestral, mostra duas fases bem distintas. A primeira mostra uma elevação generalizada do nível de produção. seguida por uma outra, a partir de outubro do ano passado, de "significativa queda na produção global".

"O quarto trimestre de 2008 frente ao trimestre anterior, com recuo de 9,4 por cento, interrompe sequência de doze trimestres consecutivos de crescimento, período que o setor industrial acumulou 16,5 por cento, apontando para uma reversão em curto espaço de tempo", afirmou o IBGE.

(Texto de Renato Andrade)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG