máquinas de sexo - Brasil - iG" /

Procuradoria recorre à Justiça contra revista que chama brasileiras de máquinas de sexo

RIO DE JANEIRO - A Procuradoria Regional Federal da 2ª Região entrou com uma ação pedindo a retirada de circulação da Revista Rio For Partiers (Rio para festeiros), que chama algumas brasileiras de ¿máquinas de sexo¿ e classifica os bailes de carnaval como ¿atividades de semi-orgia¿. A ação foi movida a pedido da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), que considerou que a publicação incentiva a prática de exploração sexual.

Redação com Agência Brasil |

Acordo Ortográfico

Além disso, segundo a Embratur, a revista usa, de forma não autorizada, o selo Brazil Sensational, do Ministério do Turismo, criado para divulgar a imagem do turismo brasileiro e atrair turistas de várias partes do mundo. Para o procurador Marco Di Iulio, que entrou com a ação, a revista expõe o povo brasileiro a uma situação vexatória e viola a dignidade humana.

A publicação, em inglês, é vendida a cerca de US$ 23 (R$ 52). A editora Solcat, que publica a revista, garante a entrega do guia em qualquer lugar do mundo por apenas mais US$ 4 (R$ 9)de frete. A "Revista Rio for Partiers" é produzida pela Editora Solcat Ltda.

A ação foi apresentada à Justiça Federal no Rio de Janeiro. Caso a Justiça dê ganho de causa à Procuradoria Regional Federal e à Embratur, a revista terá que ser recolhida, sob a pena de uma multa diária mínima de R$ 10 mil.

Quatro tipos de mulheres brasileiras

A revista classifica as mulheres brasileiras em quatro tipos: "Britney Spears", "popozuda", "hippie/raver" e "Balzac".

As Britneys seriam as chamadas "filhinhas de papai", que se vestem como a cantora, mas não deixam ninguém cantá-las. Pode esquecê-las a menos que seja apresentado a uma".

A "popozuda" é chamada de máquina de sexo bunduda (...). Bom para você investir seu tempo porque o motel é sempre uma possibilidade com essas maravilhas". A revista diz que "elas malham, usam calças apertadas, pintam o cabelo de loiro e se esforçam ao máximo para aparecer".

Segundo a revista, não podemos esquecar das "hippies/ravers" que são "garotas divertidas, fáceis de se aproximar, fáceis de conversar, difíceis de beijar, fáceis de ir para a balada".

Já a garota "Balzac" é a mulher que "quer se divertir, dançar, beber e beijar". A revista lança ainda a dica: "se tratá-la como uma dama, que elas te tratarão como um rei, talvez não hoje à noite, mas amanhã com certeza".      

    Leia tudo sobre: exploração sexualrio de janeiroturismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG