O procurador-geral de Justiça do Estado de São Paulo e presidente do Órgão Especial do Colégio de Procuradores de Justiça, Fernando Grella Vieira, exonerou o promotor de Justiça Thales Ferri Schoedl. De acordo com a assessoria de imprensa do Ministério Público (MP), Vieira cumpriu determinação do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), que hoje negou vitaliciamento na carreira de Thales.

O ato de exoneração será publicado no Diário Oficial do Estado que circulará amanhã.

Thales responde a processo por homicídio e tentativa de homicídio. Após uma discussão em 30 de dezembro de 2004, Thales matou Diego Mendes Modanez e feriu Felipe Siqueira Cunha de Souza em Riviera de São Lourenço, condomínio de classe média alta em Bertioga, no litoral paulista. Modanez foi atingido por dois disparos e morreu na hora. Souza, da mesma idade, foi baleado quatro vezes, mas sobreviveu. A defesa do promotor alega legítima defesa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.