Procurador acusa PF de não passar gasto de Satiagraha

Ao prestar depoimento hoje à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Grampos na Câmara, o procurador Roberto Dassie Diana, coordenador do grupo de controle externo da atividade policial do Ministério Público de São Paulo, acusou a Polícia Federal (PF) de ter sonegado informações sobre os recursos financeiros empregados na Operação Satiagraha. Eu pedi as informações à PF, mas ela não me informou os gastos, não.

Agência Estado |

O que foi alegado foi o sigilo da informação. Eu pedi a comprovação de gastos e não me foi fornecido", declarou.

Dassie Diana investiga vazamentos da Satiagraha, além da participação de agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) na Satiagraha. A operação da PF resultou na prisão temporária do banqueiro Daniel Dantas, do ex-prefeito Celso Pitta e do investidor Naji Nahas, entre outros. O procurador destacou que o recebimento de informações sobre os gastos da operação são importantes, pois podem revelar detalhes da conduta empregada ao longo da investigação.

Dassie Diana também confirmou no depoimento à CPI que foi contrário à ação de busca e apreensão de documentos da Abin e de responsáveis pela Satiagraha. O procurador disse que não concordou com a autorização do juiz Ali Mazloum, da 7ª. Vara Criminal Federal, para a execução das buscas. "O delegado deve ter liberdade para tirar suas conclusões. Eu não concordo com a decisão do juiz (Ali Mazloum) no caso, mas como toda decisão judicial, deve ser respeitada e acolhida, ainda que possa ser submetida a críticas", afirmou.

    Leia tudo sobre: operação satiagraha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG