Vergonha dos cabelos desgrenhados, da unha suja, do rosto inchado, dos pés. Quem nunca teve receio do ridículo? Medo de ser desnudado em seu íntimo, exposto publicamente.

Vergonha dos Pés , que estréia em São Paulo no próximo sábado com Priscila Fantin, Danton Mello e direção de Alexandre Reinecke, trata justamente disso. “Os questionamentos e a insegurança fazem parte da vida. Todos nós temos, e isso é o bom da peça”, conta Priscila, que fará sua primeira atuação no teatro. Na peça, Priscila interpretará Ana, uma jovem que sonha em ser escritora e envergonha-se dos próprios pés, tamanho trinta e três.

Em um verdadeiro embate entre o ‘eu psicológico’ e o ser físico, a adaptação do romance de Fernanda Young, traz os conflitos existenciais como peça chave, através da simplória história de uma garota, seus sonhos e suas relações. “A base de todos são os pés e, metaforicamente, é o que Ana teme que a desequilibre. Mesmo sendo uma grande intelectual, se desvaloriza', relata Priscila. Ela afirma que se encontrou na personagem. “Além de gostar de escrever como ela, me vi em diversos momentos. Há um em que, por exemplo, aos dezesseis anos, tive de lidar com coisas na profissão, às quais ainda não estava preparada. Mas diferentemente dela, calço trinta e sete”, brinca. Agora, ela confessa temer a estréia. “Tento não pensar muito, mas é claro que estou com um frio na barriga. É bem diferente de TV, no teatro existe a repetição, você faz diversas vezes a mesma coisa e de modos diferentes. Na TV não tem isso”.

Danton Mello vive Jaime, o namorado de Ana, e mais outros sete personagens que interpreta por meio de trocas rápidas de roupa em cena e de bonecos. Ele confessa ter encontrado dificuldades para compor os tipos. “É um verdadeiro desafio interpretar assim. Tive de criar as mudanças corporalmente para mostrar que é outra pessoa: a amiga, o professor...'. Apesar se ser uma peça feminina, Danton afirma que é possível enxergar além da mulher. “Obviamente eu, como ator, tenho mais sensibilidade que os homens ‘normais’ para entender os problemas do universo feminino. Mas como conflitos são sempre coisas humanas, todos podem se ver.”

O espetáculo, que segundo o diretor Alexandre Reinecke tem um cunho autobiográfico - já que Fernanda também possui os pés pequenos - ficará em cartaz apenas um mês na capital (de 6 a 28 de setembro). “É uma pena isso, ainda mais porque os dois (Danton e Priscila) estão ótimos juntos. Eles realmente possuem química. Mas, infelizmente, sei que hoje é muito difícil fazer teatro no Brasil.” Após a temporada paulistana, eles seguem viajando pelo País e, em 2009, realizam uma temporada no Rio de Janeiro.

Vergonha dos Pés - Teatro Folha. Av. Higienópolis, 618 - Shopping Higienópolis - curta temporada: de 06 a 28 de setembro. Sexta às 21h30; Sábado às 21h; Domingo às 20h. Indicação: 12 anos. R$ 50.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.