Principal distribuidor de cocaína do Rio morre em operação policial

O traficante Rogério Rios Mosqueira, mais conhecido como Roupinol, de 34 anos, foi morto na manhã desta terça-feira durante uma operação da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil no complexo de favelas do São Carlos, no bairro do Estácio, zona norte do Rio de Janeiro. O criminoso era apontado como o principal distribuidor de cocaína do Estado do Rio de Janeiro.

iG Rio de Janeiro |

De acordo com o Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE), a ação tinha como objetivo exclusivo prender Roupinol. Ele estava sendo investigado há cinco anos e os policiais chegaram à localização dele em uma residência na Travessa Castro Alves. O traficante e seus comparsas reagiram atirando contra os agentes e, segundo a polícia, Roupinol chegou a disparar uma granada, mas ninguém ficou ferido.

Durante a ação, o criminoso tentou fugir, mas foi atingido por dois tiros e não resistiu aos ferimentos ao dar entrada no Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro do Rio. Com ele os policiais apreenderam um cinturão com três granadas, uma pistola Glock 9 milímetros com carregador, dois celulares e documentos.

Polícia Civil

Identidade e armas apreendidas com Roupinol na operação policial

Roupinol estava entre os criminosos mais procurados pelo Disque-Denúncia e a recompensa por informações que levassem até ele era de R$ 2 mil. Investigações mostram que ele assumiu o comando do tráfico de drogas nos morros do São Carlos, da Mineira, do Zinco e do Querosene após deixar o complexo de favelas das Malvinas, no município de Macaé, no Norte Fluminense.

Contra ele havia 28 mandados de prisão. Rogério Rios Mosqueira trazia drogas de outros países, entre eles a Colômbia, para favelas cariocas. O criminoso também era procurado pela Polícia Federal (PF) por tráfico internacional de drogas.

Em maio do ano passado, a PF prendeu parte do grupo do traficante, apreendeu 20 quilos de cocaína e 30 armas e estourou uma refinaria de cocaína em Conceição de Macabu, no interior do Estado. No carnaval, a corporação prendeu Erialdo Rodrigues Saraiva, o Janete, tido como braço-direito de Roupinol e que organizaria as mulas do tráfico.

Para o diretor do DGPE, delegado Rodrigo Oliveira, a morte do traficante irá prejudicar a distribuição de drogas no Estado do Rio. Roupinol era o principal fornecedor de cocaína do Estado do Rio de Janeiro. A morte dele deve gerar dificuldade no trânsito da droga no Estado, explicou.

*com informações da Agência Estado

Leia mais sobre: tráfico de drogas

    Leia tudo sobre: traficantestráficotráfico de drogas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG