Primeira-dama francesa lança novo álbum na Web

Por Crispian Balmer PARIS (Reuters) - A primeira-dama da França, Carla Bruni-Sarkozy, ofereceu aos internautas a chance de ouvir seu novo álbum gratuitamente na quarta-feira, antes de seu lançamento oficial na sexta-feira.

Reuters |

A ex-supermodelo canta seu amor pelo presidente Nicolas Sarkozy no CD, 'Comme si de rien n'etait' (Como se nada tivesse acontecido), que vem gerando interesse maciço.

Para aguçar o interesse dos fãs, quem entrar no site www.carlabruni.com terá duas horas nas quais poderá ouvir as 14 faixas gratuitamente. Mas muitos internautas tiveram dificuldade em acessar o site na manhã da quarta.

Bruni-Sarkozy lançou o álbum sob seu nome de solteira e disse à rádio France Inter que está decidida a continuar cantando, apesar de estar casada com o presidente.

'Esta é uma profissão como outra qualquer. É uma profissão honesta, e espero que os franceses não reajam mal se eu continuar a exercê-la', disse ela na quarta-feira.

Em outra entrevista, porém, a primeira-dama deixou claro que tem outras preocupações além do trabalho. Ela disse à revista VSD que gostaria de engravidar.

'Será que vai acontecer? É difícil dizer. Mas é mais difícil engravidar aos 40 que aos 25', disse ela. Bruni-Sarkozy já tem um filho de seu relacionamento anterior com o filósofo Raphael Enthoven.

O novo álbum vem sendo bem recebido pela crítica, de modo geral, e Bruni-Sarkozy disse que escreveu as letras 'um pouco antes, um pouco durante e um pouco depois' de seu romance com Sarkozy no outono passado.

Com títulos como 'Você é Minha Droga' e 'Você Pertence a Mim,' muitas das faixas falam de amor, e algumas fazem referência clara a seu relacionamento com o presidente francês direitista, que chocou muito dos amigos de esquerda da primeira-dama.

'Não é correto, mas é bom mesmo assim. Que me xinguem -- não dou a mínima. Eu assumo toda a culpa, você precisa saber, você precisa compreender, você é meu senhor, você é meu amor, você é minha orgia', afirmou Carla.

Bruni-Sarkozy decidiu não promover o álbum com uma turnê e disse na quarta-feira que toda a receita das vendas do CD será doada a entidades beneficentes.

Ela admitiu que alguns de seus fãs anteriores talvez não comprem o CD devido a seu casamento com Sarkozy, odiado por alguns setores da esquerda. Ela própria ainda se considera de esquerda.

Nascida em uma família italiana rica, Bruni-Sarkozy também revelou que renunciou a sua cidadania italiana e agora é cidadã francesa por completo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG