Primeira testemunha do caso Geisy depõe na delegacia da Mulher

SÃO PAULO ¿ A delegacia de Defesa da Mulher de São Bernardo do Campo ouviu, na tarde desta quarta-feira, a primeira testemunha intimada a depor no caso da aluna Geisy Villa Nova Arruda. A estudante de turismo foi hostilizada por colegas da Universidade Bandeirantes (Uniban) por usar um vestido curto para ir à aula.

Carolina Rocha, iG São Paulo |

Futura Press
Paola Fernandes e o advogado de Geisy
Paola Fernandes e o advogado de Geisy
Paola Cristina Fernandes, colega de Geisy, foi a única das três testemunhas intimadas a depor que compareceu. Os ausentes foram um segurança e o coordenador do curso de turismo da Uniban.

Procurado pela reportagem do iG, o advogado da Uniban responsável pelo caso não estava disponível para falar sobre o motivo da ausência dos dois funcionários da universidade no depoimento.

Segundo o advogado de Geisy, João Ibaixe Jr., Paola relatou com detalhes o que aconteceu no dia 22 de outubro nas dependências da Uniban. Na sua opinião, ela foi capaz de "fortalecer as acusações de que houve mais de um crime naquele momento".

A polícia vai investigar a ocorrência de sete crimes: difamação, injúria, ameaça, constrangimento ilegal, cárcere privado, incitação ao crime e ato obsceno.

Paola teria também colaborado na identificação de novas testemunhas para o caso, o que deve gerar novas intimações para depoimento. Uma das dificuldades na convocação de testemunhas é a falta de uma cópia da sindicância feita pela universidade, que não foi liberada até o momento, explica Ibraxe Jr.

    Leia tudo sobre: alunosgeisyuniban

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG