A Polícia Civil prendeu na noite de ontem dois monitores acusados de maltratar pacientes do Centro Terapêutico Cidade do Refúgio, em Guaíba, na região metropolitana de Porto Alegre. Os mandados de prisão preventiva foram expedidos pela Justiça a pedido do Ministério Público Estadual, que investigava denúncias de tortura na instituição.

Na busca, os policiais também encontraram porretes, um aparelho artesanal usado para dar choques e uma espada.

Cerca de 25 jovens internados para desintoxicação de drogas aproveitaram a presença da polícia e pediram para deixar o estabelecimento. Eles foram encaminhados às suas famílias. Outros preferiram permanecer no centro, que não foi fechado. O proprietário do estabelecimento, que não teve seu nome divulgado pela polícia, disse aos policiais que desconhecia os problemas apontados e comprometeu-se a contratar médicos e enfermeiros nos próximos dias.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.