A Justiça do Pará decidiu que Clodoaldo Carlos Batista, o Eduardo , e Rayfran das Neves Sales, o Fogoió , condenados, respectivamente, a 17 e a 28 anos de prisão pelo assassinato da missionária norte-americana Dorothy Stang, poderão ficar quatro dias fora da cadeia para comemorar com a família o Dia dos Pais, no domingo. Porém, o benefício concedido pelo juiz de Execuções Penais, José Godinho Soares, provocou protestos de entidades de direitos humanos e da Comissão Pastoral da Terra (CPT), a qual a missionária pertencia.

As entidades entendem que há risco dos dois condenados fugirem durante os dias que estarão fora da cadeia. Segundo o juiz, o pedido de saída temporária é comum em épocas comemorativas. Outros 800 presos também ingressaram com pedido de saída temporária para ficar com os pais. A missionária foi morta em fevereiro de 2005 com seis tiros, pelas costas, depois de ler um trecho da Bíblia para os acusados. Ela defendia agricultores sem-terra de Anapu, no sudoeste do Pará, e combatia a devastação da floresta amazônica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.