CUIABÁ - Pelo menos 41 pessoas foram presas na manhã desta sexta-feira, durante a Operação Aracne, da Polícia Federal. Elas são acusadas de pertencer a uma quadrilha voltada ao tráfico internacional de cocaína. A operação foi deflagrada nos Estados de Mato Grosso, Goiás, São Paulo, Maranhão, Minas Gerais, Espírito Santo e Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal.

Acordo Ortográfico Segundo a PF, integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) eram  os principais clientes da quadrilha. Entre os presos está o chefe do bando, que comprava diretamente dos fornecedores na Bolívia. O nome dele não foi divulgado, mas de acordo com a PF, trata-se de um empresário que cria gado em uma fazenda na região de Campo Novo do Parecis, no Mato Grosso.

As várias toneladas de drogas vindas do país vizinho eram repassadas para outros cinco membros da quadrilha, que as distribuíam para outros traficantes. Após investigações da PF a partir da morte de um desses cinco membros, ocorrida na última segunda-feira, causada por outro traficante, os agentes desmontaram a quadrilha. Cerca de 400 policiais federais ainda cumprem, em 29 municípios, onze mandados de prisão preventiva. A assessoria da PF informou que há foragidos e que todos os mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Pelo menos 25 detidos vem de Mato Grosso.

Leia mais sobre: Polícia Federal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.