Presos 21 envolvidos em máfia dos caça-níqueis em MG

Com o objetivo de reprimir a prática dos crimes de formação de quadrilha, corrupção passiva e ativa, contrabando e lavagem de dinheiro, a Polícia Federal (PF) deflagrou em Minas Gerais a Operação Safári III. Hoje os agentes prenderam 21 pessoas.

Agência Estado |

Dentre os detidos há quatro líderes da organização, dois gerentes gerais, dois subgerentes, um "laranja", uma contadora, nove policiais civis e dois policiais militares.

Os crimes são decorrentes da associação de pessoas para a exploração comercial de máquinas caça-níqueis - cuja importação, tanto das máquinas quanto de seus componentes, é proibida -, bem como da cooptação de policiais para a segurança dos negócios e para a sua não atuação contra as lojas da citada organização, além da ocultação de propriedade dos bens obtidos com o dinheiro dos delitos.

Expedidos pela Justiça Federal da Seção Judiciária de Minas Gerais, foram cumpridos 19 mandados de prisão preventiva, dois mandados de prisão temporária e 33 mandados de busca e apreensão em Belo Horizonte e região metropolitana. Após um ano de investigações, foi possível identificar os principais responsáveis pelos negócios, seus gerentes e subgerentes, "laranjas", empresas, bens e policiais envolvidos na empreitada criminosa.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG