Pelo menos 17 pessoas foram presas no Mato Grosso hoje durante a Operação Dupla Face, da Polícia Federal, que tem como objetivo combater a corrupção de servidores públicos do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e da Receita Federal. A ação está sendo desencadeada em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná e São Paulo.

Serão cumpridos 98 mandados judiciais expedidos pelo juiz da 2ª Vara Federal em Cuiabá. Destes, 34 são mandados de prisão temporária e 65 de busca e apreensão. As prisões são dirigidas a 17 servidores públicos e 16 despachantes responsáveis por intermediar pagamento de propina a servidores daqueles órgãos.

A investigação, iniciada em 2006, identificou a existência de duas organizações criminosas distintas: uma agia no Incra e outra na Receita Federal. Algumas pessoas envolvidas atuavam nas duas quadrilhas. Segundo a PF, no Incra, o esquema agia principalmente nos Processos de Certificação de Imóveis Rurais em trâmite. A quadrilha cooptava proprietários interessados em obter o documento de suas propriedades rurais, intermediando o pagamento de propina a servidores.

Ainda de acordo com a PF, os investigados que atuavam junto à Receita Federal praticavam diversos crimes em prejuízo do erário em troca de recebimento de suborno, tais como fornecimento de dados sigilosos a que têm acesso em razão das funções que ocupam, cancelamento de créditos tributários, fraude e agilização de processos de restituição de imposto de renda e regularização de CPFs.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.