Presos 12 acusados de tráfico internacional de pessoas

Quadrilha é suspeita de falsificar documentos e fazer tráfico internacional de pessoas

AE |

selo

A Polícia Federal (PF) realiza nesta quinta-feira uma operação com o objetivo de desarticular uma quadrilha suspeita de falsificar documentos e fazer tráfico internacional de pessoas. Segundo a PF, foram expedidos 38 mandados e busca e apreensão e 12 de prisão preventiva nos municípios mineiros de Governador Valadares, Cuparaque, Conselheiro Pena, Ipatinga, Sobrália e Quatituba, além de um mandado de busca em Vitória (ES). Dez dos doze presos foram detidos em Governador Valadares.

O esquema, que envolvia falsificação de passaportes, começou a ser investigado em maio, quando um dos membros da quadrilha foi identificado. Sete presos agiam como "cônsules", que, de acordo com a PF, agenciavam as viagens, e cinco falsificavam documentos públicos em Governador Valadares e região. A quadrilha chegava a cobrar até US$ 14 mil para providenciar a viagem.

Os criminosos estão sendo indiciados por formação de quadrilha ou bando e falsificação de documento público. Dez dos doze presos já tinham passagem pela polícia.

O grupo era investigado por tráfico internacional de pessoas e por sequestrar nos Estados Unidos os próprios imigrantes que levavam ilegalmente ao País para cobrar resgates a suas famílias no Brasil, segundo um comunicado da PF.

A operação contou com a colaboração de autoridades americanas, segundo um comunicado divulgado pelo consulado dos Estados Unidos no Rio de Janeiro.

"Esta é uma demonstração de nosso compromisso com nossos parceiros da Justiça brasileira", afirmou Phil Gunn, adido em exercício do Departamento de segurança Interna dos EUA no Brasil.

O grupo começou a ser investigado em julho, quando a PF deteve no estado do Espírito Santo uma pessoa acusada de liderar uma quadrilha que falsificava documentos para facilitar a viagem de imigrantes ilegais aos EUA.

Pernambuco

A Polícia Civil prendeu nesta manhã 33 pessoas em Pernambuco durante a Operação Farol, que objetiva coibir o tráfico de drogas e homicídios no Estado. Segundo o diretor geral de operações da corporação, Osvaldo Morais, já foram apreendidos armas, drogas, dinheiro e veículos. Ainda não foi feita a contabilização dos materiais apreendidos.

A Justiça expediu 35 mandados de prisão e 35 de busca e apreensão que serão cumpridos em Olinda, na região metropolitana do Recife. Entre os presos, até por volta das 10h30, dois haviam sido detidos em flagrante.

* Com informações da EFE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG