no mato e que só no domingo decidiu fugir - Brasil - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
Brasil
enhanced by Google
 

Preso, suspeito do crime diz em depoimento que passou 3 dias no mato e que só no domingo decidiu fugir

Acusado de tentativa de homicídio e receptação após ter a fuga frustrada para o Paraguai, Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, suspeito de ter matado o cartunista Glauco Villas Boas e seu filho, Raoni, afirmou em depoimento à Polícia Federal em Foz do Iguaçu (PR), onde está preso, que passou três dias escondido no mato e que só no domingo decidiu tentar atravessar a fronteira do País.

iG São Paulo |

No depoimento à PF, Sundfeld Nunes confessou a autoria do crime. No fim da tarde, a PF em Foz do Iguaçu informava que ainda aguardava uma ordem de transferência do acusado para São Paulo, onde é investigado pelas mortes do cartunista e de seu filho.

A Justiça Federal ainda vai decidir se Nunes ficará detido em Foz de Iguaçu ou se será transferido para São Paulo. O mais provável, conforme é que o suspeito seja transferido da sede da Polícia Federal para uma delegacia de Foz do Iguaçu. Além da arma, ele portava pequena quantidade de maconha que disse ser para o seu próprio uso.

No Paraná, ele está sendo investigado por tentar matar um policial na fronteira, em quem acertou um tiro no braço, e por conduzir um veículo roubado ¿ crime de receptação, portanto, que pode render de um a quatro anos de prisão. O policial atingido pelo estudante passaria por cirurgia ainda na tarde de segunda-feira mas, segundo a PF, não corre risco de morte.

Com o suspeito, a polícia encontrou ainda uma pistola igual a usada para matar o cartunista e o filho dele, uma semi-automática oxidada 7,65 mm.

Ao todo, Nunes deve ser indiciado por cinco crimes: duplo homicídio (pela morte de Glauco e Raoni), roubo de veículo, resistência à prisão, porte ilegal de arma e tentativa de homicídio do agente da PF.

Em vídeo, Carlos Eduardo relata a motivação do crime. "Tô com uma arma na mão, no meio do mato, apontando para um cara famoso. Os caras vão me condenar à morte aqui no Brasil. (...) Aí, eu peguei e falei: você f*** com a minha (vida). Demorou. Vou f*** com a sua também" Aí, atirei nele. O filho dele veio para cima. Atirei no filho dele também", afirmou Carlos Eduardo.


 

Carlos Eduardo admite ter matado Glauco e filho; veja

 

Carreira

AE
Glauco em foto de 1986
Nascido em 1957, em Jandaia do Sul, no Paraná, Glauco Villas-Boas publicou sua primeira tira em 1976 no Diário da Manhã, de Ribeirão Preto. A carreira decolou após ser premiado no Salão Internacional de Humor de Piracicaba, também em 1976, e na 2ª Bienal de Humorismo y Gráfica de Cuba.

Glauco começou a publicar suas tiras no jornal "Folha de S.Paulo" de maneira esporádica em 1977 e, em 1984, os desenhos passaram a ser regulares. Ele desenvolveu os personagens Geraldão, Casal Neuras, Doy Jorge, Dona Marta e Zé do Apocalipse.

Como redator, fez parte do elenco de redatores da TV Pirata, da Rede Globo. Músico, também tocava em bandas de rock.

Em parceria com os cartunistas Angeli e Laerte, lançou os "Los Três Amigos", tira com histórias sarcásticas que também eram publicadas pela Folha. Em 2006, publicou o livro "Política Zero", com 60 charges sobre a crise no governo Lula.

*Com informações da Agência Estado

Leia mais sobre: Glauco


Leia tudo sobre: glauco villas boas

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG