Preso suspeito de torturar e prender família por 17 anos

SÃO PAULO - O músico e ex-bombeiro Benedito Cardoso, de 46 anos, foi preso na quarta-feira acusado de manter uma de suas duas mulheres em cárcere privado por 17 anos e de torturar um filho, de 17 anos.

Agência Estado |

Na Delegacia Central de Arujá, na Grande São Paulo, onde foi registrado o flagrante, Cardoso negou as acusações. "Sou inocente, isso é mentira", afirmou.

AE
Filho de Francisca acusa o pai de agressão e tortura

Ele tem duas mulheres: com uma delas, Francisca Ferreira do Nascimento, de 42 anos, ele tem quatro filhos e com a outra, seis. As duas famílias vivem na mesma rua em Arujá. Os dez filhos do músico formam uma banda, chamada "Banda Largha Com H".

Segundo a família de Francisca, o músico a manteve em cárcere privado por 17 anos. Os familiares também afirmaram que ele batia nos filhos do relacionamento com Francisca, de 14, 15 e 17 anos, e apenas poupava a menina, de 11 anos. Mas somente o mais velho acusou o pai. "Ele dava choques nas crianças e obrigava elas a tocar na banda", disse a aposentada Francisca Neuma Ferreira, de 45 anos, irmã de Francisca Ferreira.

Francisca Neuma contou que a irmã alegou que precisava ir ao médico com a filha de 11 anos e aproveitou a saída para fugir, levando a menina. Da região central de São Paulo, ela ligou para a irmã.

"Ela me ligou falando para a gente fugir porque ele (Cardoso) ameaçou matar todo mundo", disse Francisca Neuma, que afirma que o cunhado foi afastado do Corpo de Bombeiros em razão das agressões que praticava contra a família.

Detenção

A Polícia Militar (PM) foi acionada e deteve o ex-bombeiro, que alegou que as marcas no corpo do filho são de brincadeiras de criança. "Amo os meus filhos e quero o melhor para eles." O acusado definiu Francisca Ferreira como sua "amante" e admitiu que aplicava "corretivos com cinta" nos filhos. "Todo pai dá corretivos para os filhos, é normal. Não era com excesso. Se todo pai fizesse isso, não teria cadeias tão cheias." Ele disse que não foi afastado do Corpo de Bombeiros. "Eu é que pedi baixa."

O delegado José Humberto Xavier autuou Cardoso em flagrante. Ele deve responder por cárcere privado, ameaça, violência doméstica, maus-tratos, tortura e serviço escravo. "Agora ele ficará recolhido, à disposição da Justiça", explicou o delegado, que disse ter tomado a decisão baseado na denúncia da mulher e do adolescente.

Leia mais sobre casos policiais

    Leia tudo sobre: bombeirofamíliatortura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG