A Polícia Federal prendeu nesta terça-feira (29), o servidor público P.R.N., suspeito de fraudar o programa Bolsa-Família no sul de Minas Gerais. Os mandados de prisão e de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal na cidade de Lavras a pedido do Ministério Público Federal (MPF), foram cumpridos na residência do servidor e em seu local de trabalho, na prefeitura de Conceição da Barra de Minas (MG). P.R.N. teria se apropriado de cartões e senhas de vários beneficiários do programa Bolsa-Família, quando ainda trabalhava no município de Itutinga (MG).

Segundo o procurador da República Leonardo Melo e o delegado de Polícia Federal Frederico Levindo Coelho, o servidor aproveitava a sua condição de gestor municipal do Bolsa-Família e mandava bloquear cartões, impedindo que os beneficiários sacassem os valores.

Ao ser procurado pelos cidadãos para que promovesse o desbloqueio, ele solicitava que fossem entregues os cartões e as respectivas senhas, aproveitando-se da ingenuidade das vítimas. Após mandar reativar os cartões, conhecendo as senhas, sacava os valores, sem que as vítimas desconfiassem. Essa conduta perdurou por pelo menos durante todo o segundo semestre de 2007.

Se as suspeitas forem confirmadas, o servidor será denunciado pelo crime de peculato e de estelionato contra a União.

Investigações

As investigações tiveram início no dia 26 de março de 2008, quando o MPF formulou, na Justiça Federal de Lavras, pedido de quebra de sigilo de alguns cartões do Bolsa-Família e requisitou a instauração de inquérito pela Polícia Federal.

A Secretaria Nacional de Renda e Cidadania do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome também foi contactada e está auxiliando a PF e o Ministério Público Federal na apuração dos fatos.

Leia mais sobre: Bolsa Família - estelionato

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.