Preso 2º suspeito de fraude com incentivo cultural no RS

O estudante de contabilidade Rafael Campani foi preso provisoriamente hoje, por decisão da Justiça, suspeito de participar das fraudes à Lei de Incentivo à Cultura (LIC) do Rio Grande do Sul, ao final de um depoimento ao Ministério Público Estadual, em Porto Alegre. O esquema é investigado desde o início do mês, quando uma reportagem da RBS TV mostrou que produtores culturais usaram notas de despesas pessoais na prestação de contas para justificar a captação de recursos que haviam feito com base na LIC, que dá descontos de impostos às empresas que investem em cultura.

Agência Estado |

Os promotores também descobriram a falsificação de assinaturas e a montagem de documentos frios no encaminhamento de alguns projetos. Na sexta-feira, o produtor Flávio Agliardi confessou ter falsificado documentos e foi preso. Seu depoimento deu mais pistas à investigação ao revelar que há outros envolvidos, como funcionários públicos, integrantes do Conselho Estadual de Cultura e empresas que exigiriam a devolução de parte do que entregavam aos produtores como incentivo à cultura.

Em entrevista à imprensa gaúcha, o advogado de Campani, Valmir Mendonça, negou que seu cliente tenha participado de fraudes. Ele admitiu apenas que, como funcionário de Agliardi, o estudante acompanhou algumas empresas na apresentação de projetos a órgãos públicos, sem ter conhecimento de irregularidades.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG