A presidente das Filipinas, Gloria Arroyo, declarou estado de emergência nesta terça-feira em algumas áreas do sul do país, um dia depois do massacre de 35 pessoas.

O balanço de mortos do ataque contra um grupo de políticos e jornalistas que comoveu o país subiu a 35, depois que 13 corpos foram encontrados em uma vala comum, informou a polícia.

O estado de emergência afeta a província de Maguindanao, onde as vítimas foram assassinadas na segunda-feira após um sequestro, e outras duas áreas limítrofes.

A medida envolve 1,54 milhão de pessoas.

As vítimas integravam um grupo de 40 deputados e jornalistas sequestrados por homens armados na província de Maguindanao, na ilha de Mindanao.

A violência parece estar relacionada às rivalidades políticas entre candidatos antes das eleições para o governo da província, programadas para maio de 2010.

A polícia informou nesta terça-feira que os 13 novos corpos encontrados foram retirados do mesmo local.

Entre os 35 mortos estão 14 mulheres. As vítimas foram assassinadas a tiros.

Leia mais sobre: Filipinas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.