Presidente do TSE critica tentativa de 3º mandato de Lula

RIO DE JANEIRO - O Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Marco Aurélio Mello, criticou o movimento de alguns parlamentares petistas para tentar viabilizar um terceiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo ele, o Brasil precisa de homens públicos que observem a lei em vigor no País.

Reuters |

"Gostaria de pedir perdão e perguntar: 'Nós vivemos no mesmo mundo? Já houve reeleição'', afirmou o presidente do TSE a jornalistas, na noite de quinta-feira, no Rio de Janeiro.

Nesta semana, o deputado Devanir Ribeiro (PT-SP), um dos principais defensores do terceiro mandato para Lula, começou a coletar assinaturas para uma proposta de emenda à Constituição que poderia beneficiar Lula com um terceiro mandato maior do que os dois períodos de quatro anos que se encerram em 2010.

O presidente do TSE combateu o projeto de lei, e reiterou que o Brasil tem que aprender a cumprir suas leis.

"Eu, como presidente do TSE, entreguei o diploma (ao presidente Lula) para o exercício de um mandato durante quatro anos. Observemos as leis estabelecidas", afirmou o ministro.

"Eu indago se teríamos melhores dias simplesmente com simples mudança das leis. O que nós precisamos no Brasil é de homens públicos que observem as leis em vigor", reiterou o presidente do TSE, que participou da inauguração do Centro Cultural da Justiça eleitoral na capital fluminense.

O presidente Lula, em entrevista coletiva na Holanda, voltou a negar a intenção de disputar o terceiro mandato e afirmou que a discussão "é falta de assunto da oposição", de acordo com a Agência Brasil.

"Oito anos na Presidência de um país é tempo suficiente para a gente executar um programa de governo", afirmou o presidente.

Leia também:

Leia mais sobre: Lula  - reeleição - terceiro mandato

    Leia tudo sobre: terceiro mandato

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG