Presidente do Senado quer Aparecido e assessor de Álvaro Dias em CPMI

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), defendeu nesta sexta-feira a convocação do funcionário da Casa Civil, José Aparecido Nunes Pires, e do assessor do senador Álvaro Dias (PSDB-PR), André Fernandes, para a CPMI dos Cartões Corporativos.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Segundo ele, os dois, apontados como vazador e receptor das planilhas com gastos do ex-presidente FHC, são os mais indicados para fornecer informações capazes de indicar quem elaborou o suposto dossiê e a mando de quem.

"Eu acho que deve convocar os funcionários, eles devem ter alguma coisa a dizer além do que já disseram", disse.

Garibaldi ainda defendeu que a CPMI trabalhe em conjunto com a Polícia Federal na elucidação do caso. O presidente também voltou a defender a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, dizendo que não a tem como mentirosa e que ela não tem culpa no episódio do dossiê.

"Eu não tenho na conta de mentirosa a ministra Dima Rouseff, que inclusive falou até quando não foi obrigada, eu não culpo a ministra de maneira nenhuma, tem que se apurar e saber quem mentiu, quem vazou, tem que se apurar o fato, com isenção, com rigor, e tem que se punir esse fato", comentou. 

Questionado sobre a possibilidade de fogo amigo no vazamento, já que Aparecido é ligado ao PT e foi indicado à Casa Civil pelo ex-ministro José Dirceu, Garibaldi foi reticente. "Não sei se é fogo amigo, não sei mais identificar esse tipo de fogo".

    Leia tudo sobre: dossiê

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG