O presidente do diretório estadual do PSDB de São Paulo, Antonio Carlos de Mendes Thame, rebateu hoje, em nota, as críticas feitas pelo PT paulista ao PAC paulista e ao governador José Serra. Personagens secundários costumam ter ideias menores e até mesmo mesquinhas.

É o caso dos dirigentes do PT paulista. Tentando formular ideias, mostram apenas ingratidão, incompetência e oportunismo", diz o tucano.

Segundo Thame, o governador José Serra costuma atender de forma correta deputados e prefeitos, sem discriminar ninguém em razão de filiação partidária. "O presidente estadual do PT, Edinho Silva, é o melhor exemplo disso, pois recebeu, como prefeito de Araraquara, enorme ajuda do governo do Estado e vivia elogiando as ações do governo Serra. Não conseguiu eleger sua sucessora e hoje projeta seus ressentimentos à frente do diretório estadual do seu partido", alfinetou o líder tucano.

Ainda nas críticas, Mendes Thame acusou o PT de ter como marcas principais em São Paulo o "dossiê dos aloprados, os contratos de lixo abusivos e os túneis mal feitos da ex-prefeita Marta Suplicy, na região dos Jardins." E argumentou que o principal fator do desemprego em São Paulo e no Brasil são "as taxas de juros siderais do governo Lula".

Para o dirigente tucano, o PT deveria "descer do palanque e ajudar o País a enfrentar a crise", à exemplo do que vem fazendo o governo de São Paulo. E ironizou: "Já os dirigentes petistas de São Paulo, obcecados pelo sectarismo, tentam desmerecer um trabalho sério e fomentar discórdia, justamente agora quando precisamos mais do que nunca de tranquilidade e união de esforços. Talvez seja o caso de apelarmos aos hierarcas petistas reunidos em São Paulo: se não ajudam, pelo menos não atrapalhem."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.