Eleito com o voto de 92 dos 94 deputados no último dia 15, o novo presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Barros Munhoz (PSDB), defendeu que a Casa que comandará até 2010 é um modelo para o País na gestão dos recursos públicos. Munhoz diz que pode haver ¿excessos¿ nos gastos, mas pondera que não se trata de um problema restrito à área pública. ¿Qualquer órgão ou empresa precisa ser melhorado.¿

Sobre algumas regalias, como a existência de gabinetes para ex-presidente, ex-primeiro secretário e ex-segundo secretário, com direito a nomeações de cargos e veículo oficial, entre outros, Munhoz é taxativo: É difícil revogar conquistas alcançadas, diz. E adianta que não tomará iniciativa para mudar a ordem das coisas.

(Com informações do jornal "O Estado de São Paulo")

Leia mais sobre: Alesp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.