Presidente de comissão busca acordo para depoimento de Dilma

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente da Comissão de Infra-Estrutura do Senado, Marconi Perilo (PSDB-GO), vai conversar com os líderes dos partidos para definir os procedimentos do depoimento da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, na quarta-feira. Perilo acredita que a reunião será tranquila e disse que vai buscar um entendimento com os líderes para que tudo corra da melhor maneira possível durante o depoimento de Dilma. O senador garantiu, porém, que não vai limitar o assunto, mesmo que o tema oficial do depoimento seja o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Reuters |

'Os senadores são livres, são independentes, ninguém vai cercear nenhum senador que eventualmente queira saber da ministra outras informações que não sejam do PAC', disse Perilo.

A oposição pretende aproveitar o depoimento para questionar a ministra sobre o suposto dossiê com gastos sigilosos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

O líder do PSB, Renato Casagrande (ES), disse que a ministra está preparada para falar sobre tudo, mas acredita que se as respostas dela não forem consistentes podem reacender o clima de animosidade no Senado.

'Se ela tiver tranquilidade e coerência no seu discurso, com certeza o efeito será benéfico ao governo. Caso contrário, será maléfico', disse Casagrande.

O senador avalia que oposição e governo vão adotar a mesma estratégia no depoimento.

'Quanto mais parlamentares perguntando, melhor. Certamente o governo perguntando sobre o PAC e a oposição sobre o dossiê.

Por isso a ministra vai ter que ter resistência física e calma para poder responder a todas as perguntas.'

O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), afirmou que a partir do depoimento de Dilma Rousseff o clima político no Congresso tende a melhorar.

'Acho que a vinda dela vai contribuir para que possamos ter um clima mais tranquilo tanto na CPI quanto no Senado.'

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG