O presidente do canal privado de televisão Globovisión, Guillermo Zuloaga, afirmou nesta quarta-feira que o presidente venezuelano, Hugo Chávez, deu instruções para encontrarem uma maneira de detê-lo, mas garantiu que não vai fugir da justiça.

"Temos uma informação que vem de uma fonte fidedigna, de que existem instruções dadas pelo presidente da República para que busquem, no caso, via Ministério Público, uma maneira de me deter", disse Zuloaga em entrevista à imprensa.

"Na Venezuela, o nosso sistema judicial é usado para perseguir os inocentes que não concordam com o governo, em vez de perseguir criminosos", acrescentou.

A Globovisión, uma rede privada de 24 horas de informação muito crítica às políticas de Chávez, responde, neste momento, a 46 ações judiciais e administrativas.

Concretamente, o presidente da televisão foi acusado há vários meses por crime de "usura continuada", devido a um suposto armazenamento irregular de 24 veículos novos, pertencentes a duas concessionárias de sua propriedade.

Zuloaga está proibido de sair do país e deve comparecer quinta-feira aos tribunais, onde se apresenta a cada oito dias. "Já temos 17 apresentações; amanhã será a de número 18 e lá estaremos", afirmou o empresário.

rsr/lm/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.