Presidente da CPI dos Grampos pedirá prorrogação

O presidente da CPI dos Grampos, deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), vai pedir a prorrogação dos trabalhos da comissão por 60 dias para que os parlamentares tenham tempo de analisar os documentos sobre o inquérito da Polícia Federal que investiga possíveis abusos do delegado Protógenes Queiroz na Operação Satiagraha.

Agência Estado |

O material chegou à CPI na noite de quinta-feira, enviado pela Justiça Federal de São Paulo, e, segundo Itagiba, ficará lacrado até terça-feira, quando o deputado estará de volta a Brasília.

Itagiba, que apresentará voto em separado ao relatório final da CPI sugerindo o indiciamento de Protógenes por falso testemunho, disse que ainda vai analisar o conteúdo dos documentos, mas comentou que o uso de métodos ilegais de investigação comprova a falta de controle do setor de inteligência no País. Comparo à situação da Colômbia, disse.

O serviço secreto colombiano enfrenta uma grave crise desde o ano passado, por causa de suspeitas de que a organização teria feito escutas clandestinas em telefones de autoridades, de adversários do presidente Álvaro Uribe, de juízes e de jornalistas.

Reportagem da revista "Veja" desta semana diz que o material recolhido pela PF no inquérito que investiga a atuação de Protógenes mostra que o delegado recorreu a métodos ilegais de investigação e que espionou até mesmo integrantes do governo Lula. Vou abrir o material e começar a analisar a partir de terça-feira. A continuidade da CPI é fundamental, disse Itagiba.

A prorrogação tem que ser aprovada pelo plenário. O pedido será encaminhado ao presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP). O presidente pode prorrogar e depois o plenário confirma a decisão.

Leia mais sobre CPI dos Grampos

    Leia tudo sobre: cpi dos grampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG