Presidente cobra do PT e do PMDB união nos Estados

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu às direções do PT e do PMDB que enquadrem as seções estaduais dos dois partidos com objetivo de garantir ampla rede de apoio em torno da candidatura da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, ao Palácio do Planalto em 2010. A cobrança foi feita durante jantar que selou a aliança entre os dois partidos, na terça-feira, no Palácio da Alvorada.

Agência Estado |

"Como vou fazer campanha em dois ou três palanques?", perguntou o presidente, anfitrião do jantar que reuniu Dilma, ministros, senadores, deputados e dirigentes petistas e peemedebistas. Lula lembrou a trajetória do PT para dizer que, muitas vezes, um partido só se consolida nacionalmente entrando em confronto com posições de diretórios estaduais, que desejam lançar candidatura própria apenas para "marcar posição".

Anunciado como "pré-compromisso" em nota de quatro itens, o noivado entre o PT e o PMDB enfrenta resistências. Nenhum dos dois partidos quer desistir de lançar chapa aos governos de São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Bahia, Pará, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Distrito Federal. "Nossa obsessão, agora, é unir o PT e o PMDB nesses Estados", afirmou o líder peemedebista na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN). "Só não vamos conversar com diretórios de São Paulo e de Pernambuco, que são oposição a Lula, e não apenas contra a aliança com Dilma." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG