Uma empregada doméstica foi presa ontem acusada de assassinar a empresária Kátia Bedinger em fevereiro deste em Indaiatuba, no interior de São Paulo. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), na ocasião, a funcionária teria arrumado a cena do crime para simular um suicídio.

Ela foi detida no município Guaira, em uma fazenda na divisa com o Paraguai, dois meses após ter sido incriminada.

No dia 20 de fevereiro deste ano, véspera de Carnaval, a empresária foi encontrada morta no banheiro do duplex onde morava, no centro de Indaiatuba. O corpo estava pendurado no registro sobre o vaso sanitário, como se a mulher tivesse cometido suicídio. Porém, ela tinha uma costela quebrada e marcas no pescoço, fato que chamou a atenção dos policiais. Segundo Paulo Afonso Tucci, delegado seccional de Campinas, "estava tudo muito arrumado e até o tapetinho do banheiro estava no lugar".

No local do suposto suicídio havia também um celular com uma mensagem de despedida. "O texto estava cheio de erros de português, o que não condizia com a condição intelectual da empresária", conta Tucci.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.