Prêmio polêmico da Mega-Sena acumula novamente

Terminou sem ganhador o sorteio do polêmico prêmio da Mega-Sena acumulado no último fim de semana mesmo após um grupo de apostadores acertar as seis dezenas do concurso - e descobrir, logo em seguida, que a aposta não havia sido registrada.

Matheus Pichonelli, iG São Paulo |

Dessa vez, ninguém acertou as seis dezenas sorteadas (09-24-31-44-48-49) em Florianópolis (SC) no concurso de número 1156 da Mega-Sena. O valor sorteado chegou a R$ 61 milhões, o terceiro maior da modalidade.

Com isso, o prêmio acumulou pela 11ª vez e deve chegar a R$ 70 milhões. O próximo concurso ocorre no dia 27 deste mês.

No fim de semana, quando o prêmio estava acumulado em R$ 53 milhões, cerca de 40 participantes de um bolão realizado em uma loteria em Novo Hamburgo, no interior do Rio Grande do Sul, comemoraram o acerto das seis dezenas sorteadas.  Acordaram ricos, conforme a definição de um dos jogadores, e foram dormir pobres no mesmo dia .

Isso porque descobriram que a aposta não foi registrada no sistema da Caixa Econômica Federal (CEF), que administra o prêmio, em razão de um erro de uma funcionária do estabelecimento, segundo o dono da lotérica, José Paulo Abend ¿ que, após passar os últimos dias sob efeito de calmante, prestou nesta quarta-feira depoimento à Polícia Civil de Novo Hamburgo.

A polícia não descarta que houve fraude do bolão.

AE
Frustrados, apostadores reivindicam prêmio de R$ 53 milhões

O estabelecimento teve suas atividades suspensas pela Caixa no final da tarde de anteontem, não podendo prestar serviços bancários, recolher apostas ou vender bilhetes de jogos oficiais.

Ao menos 21 apostadores já contataram um grupo de advogados que deve acionar a Justiça para buscar alguma forma de reparação.

A princípio, foi divulgada a possibilidade de se tentar bloquear o prêmio na Justiça, mas a estratégia ainda não foi definida pelo grupo, segundo Marcelo Luciano da Rocha, um dos advogados dos apostadores.

O dono da lotérica, segundo o advogado dele, Marcelo De La Torres Dias, chegou a sofrer ameaças depois que o grupo descobriu que não teria direito ao prêmio.

O proprietário tem pressão alta e chegou a sofrer uma crise nervosa na terça-feira, segundo Dias, que promete provar que Abend não reteve o dinheiro investido pelos apostadores.

Para provar, ele afirma que até mesmo as imagens de câmeras do circuito interno da loteria serão usadas nas investigações.

Não concluímos com precisão. Mas os indicadores nos levam praticamente a crer que foi erro de alguma funcionária mesmo. Isso tem como ser provado através de uma documentação escrita, de formulários, de controles internos, prova testemunhal de colegas da funcionária e através do sistema de segurança. As câmeras de vigilância gravam a movimentação.

Além das provas, o advogado afirma que, pela lógica, o proprietário não obteria vantagem caso resolvesse reter o dinheiro apostado.

Leia mais sobre Mega-Sena .

    Leia tudo sobre: mega-sena

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG