Prêmio do teatro paulista inova nas categorias

SÃO PAULO ¿ O clima foi informal e a cerimônia sem gafes e bem-humorada ¿ de verdade, sem piadinhas forçadas ¿, um feito raro em noite de entrega de prêmios. A festa na qual foram conhecidos os vencedores do Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro 2008 se deu anteontem à noite no Espaço Parlapatões.

Agência Estado |

Foi a 1ª edição dessa premiação, que inova nas categorias, que deu aos artistas uma escultura desmontável, cujo desenho remete ao espírito coletivo da atividade teatral, criada pela cenógrafa Luciana Bueno.

Os atores anfitriões Hugo Possolo e Raul Barreto foram os apresentadores nada cerimoniosos da "cerimônia". Na abertura, o presidente da cooperativa Ney Piacentini explicou que a ideia do prêmio surgiu em 2007 e o formato foi muito discutido em reuniões, pois se buscava atender à forma de produção do teatro de grupo. A ideia foi priorizar o trabalho coletivo sobre a personalidade. Mas o conceito está em processo. Por favor, façam críticas, deem sugestões, pediu à plateia.

A inovação buscada se faz notar, por exemplo, na categoria elenco, que substitui o destaque para intérpretes. O ator Domingos Montagner subiu ao palco com o parceiro artístico de longa data Fernando Sampaio para receber o prêmio de elenco por "A Noite dos Palhaços Mudos" e brincou: O importante mesmo não é a premiação, é o trabalho ¿ mentira, mentira, disse agarrando a escultura.

    Leia tudo sobre: teatro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG