RIO - O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, se reuniu em seu gabinete na manhã desta sexta-feira (2) com o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno, para discutir a implementação da terceira da fase do programa Favela-Bairro na cidade. Além disso, ficou acertado que uma equipe de consultores chega ao Rio até o fim do mês para ajudar a prefeitura a cortar investimentos e gastos dos cofres municipais de maneira equilibrada, como uma espécie de choque de gestão.

O programa Favela-Bairro 3 prevê recursos no valor de US$ 300 milhões. Metade desse montante deverá vir de financiamento do BID e a outra metade, por meio de recursos da prefeitura. De acordo com Paes, o projeto prevê urbanização de comunidades de baixa renda, com um foco mais voltado para a redução dos impactos ambientais. O prefeito afirmou, ainda, que pretende aproximar as melhorias das demandas sociais de cerca de 30 comunidades que deverão receber as obras.

"É uma oportunidade fantástica para a cidade, mas queremos fazer uns ajustes. O Favela-Bairro não pode ser só um programa de urbanização, mas [pode] ter intervenção na casa das pessoas, nas condições de habitação, melhorias na área social e a disponibilização de serviços, como escolas etc.", afirmou, logo após o encontro.

O secretário de Habitação, Jorge Bittar, que também participou da reunião, explicou que entre as medidas do projeto estão a implantação de um sistema de aquecimento de água por energia solar e a contenção do crescimento da ocupação irregular com ajuda de imagens por satélite. Ele informou que a prefeitura vai se empenhar também para reduzir o déficit habitacional na cidade, estimado em 350 mil moradias. Segundo ele, nos próximos quatro anos, serão construídas pelo menos 100 mil habitações principalmente em terrenos públicos desativados da União, do estado e do município.

"A idéia é construir moradias populares não em guetos separados, mas dentro do tecido urbano para que as pessoas tenham acesso ao transporte, à rede de esgoto, à saúde, à escola, hospital."
O BID também vai ajudar o estado com consultorias em diversas áreas para otimizar as oportunidades de crescimento em conseqüência da realização da Copa do Mundo de Futebol, em 2014.

(Agência Brasil )

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.