O Secretário Municipal de Saúde do Guarujá, Marco Antonio Barbosa dos Reis, negou hoje que haja um surto de diarreia na cidade. Infectologista, ele afirmou que embora o número de atendimentos com pacientes com diarreia, vômito e dor no corpo tenha aumentado no município, esse crescimento é sazonal, comum nessa época do ano, e não é possível contabilizar um crescimento em relação à última temporada de verão.

"O aumento no número de atendimentos é normal nessa época do ano, quando a população do Guarujá sobe de 300 mil para 1 milhão de habitantes".

Entretanto, a assessoria de imprensa da Prefeitura divulgou que pelo menos 780 pessoas foram atendidas na rede pública com esses sintomas entre os dias 30 de dezembro e 3 de janeiro.

Diretor da clínica particular Medical Care, no Guarujá, o médico Ricardo Auad, afirmou que mais da metade dos pacientes atendidos na clínica são de diarreia e vômito e que, esse ano, há um surto do que se acredita ser uma virose, assim como no ano passado houve um surto de meningite e em 2008 de dengue. "É uma média de 60% com esses sintomas, no final de semana, atendemos 150 pessoas no sábado e 150 no domingo. Não foi feito sorologia, mas a gente acredita que seja um quadro viral porque é limitado a dois, três dias e a pessoa não precisa de antibiótico", disse.

O diretor técnico do Hospital Santo Amaro, Hermano de Matos Boechat, também negou que o número de atendimentos de diarreia tenha aumentado em relação ao verão passado e chamou a informação divulgada pela imprensa de "leviana". No entanto, as filas nos atendimentos e as queixas da população reforçam a estatística.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.